Sunday, May 30, 2010

Sufoco

Houve apenas um calafrio que ressuscitou em mim o instinto de Cat women, de mulher fatal e indomável.
Faltava-me só aquela roupa sexy de sexta-feira á noite, para dormir com pelo menos um ou dois homens naquelas noites de saídas nocturnas com as amiguinhas da universidade, para grandes pubs da cidade.
Tecnicamente, não posso dizer que eram só aqueles vestidos com 20 cm acima do joelho e decotes até ao umbigo que causavam dependência sexual nos homens; sempre houve um tal encanto e um tal charme naquele meu batôn rouge.
Nada de gloss's brilhantes.
Uma cor uma noite, e mesmo sendo um lema tão patético, dava o maior resultado e o maior prazer naquelas noites em que apenas um lençol (e por vezes nem isso), cobria o meu corpo e o de um tal Bryan... ou charlie, ou John...
Não consigo relembrar o nome de todos, mas sei que pelo menos uma vez por semana o Calvin estava no meu quarto, e sei que se eu não partilhasse a casa nos suburbios com uma amiga, eu e o Calvin não usariamos só o quarto.
Bom, e o Calvin era o namorado que me levava para trabalhar todas as noites, sem se importar que outros e charmosos homens me pagassem para estar e dormir com eles.
Eu menti, admito, meus caros.
Eu não tinha amigas, tinha clientes.
Eu não trabalhava em grandes pubs, pois tinha ao meu dispor apenas a beira de uma estrada e uns quantos bebedos a meu redor.
O calvin desapareceu, e achava que eu iria com ele.
Mas eu fiquei, e nunca mais ficarei sozinha, pois pelo menos, sei que a minha valentia em lutar por tudo ainda reside no meu corpo, já um pouco gasto e usado demais.
Eu já não me vendo pois já ninguém me 'compra'. Já sou a habitual imagem de marca das novas meninas que dão o corpo por dinheiro.




Sufoquei!




2 comments:

  1. Está lindo Gabriela, escreves mesmo muito bem :|

    ReplyDelete